TUNTUM ESTÁ DE LUTO, SE CALA A VOZ AVELUDADA DO PRINCIPE NEGRO

Por Remy da Mata/Especial para o Blog Bate Tuntum

Cumprindo missão do Criador pousou em Tuntum após o por do sol a Nave Celestial para resgatar um dos mais ilustre cidadão do nosso torrão, Elias Matos, O MESTRE ELIAS. O Cerimonial do paraíso junto com a milícia celestial embarcaram de volta em voo direto para Região a onde mora as Almas do Justos.


O nosso Mestre era Negro, de estatura mediana, se vestia com elegância, íntegro, afável, excelente chefe de família, educado, sempre aflorando a jovialidade. Essas são as qualidades dessa grande personalidade, o gentleman e bon vivant Mestre Elias. Homem Cordial, media as palavras para se posicionar sobre os temas que discorria, se expressava com clareza, tinha voz pausada e olhava seu interlocutor com profundidade e atenção. O seu timbre de voz aveludada fica gravado em nossa memória, principalmente pela tonalidade educada e suave como imaginamos ser a voz dos anjos, arcanjos e querubins. O nosso Orfeu negro era neto de escravos nasceu em Bacabal, a Capital do Médio Mearim. Na sua trajetória trabalhou na roça, foi engraxate, vendeu banana, doce, bolo e outras guloseimas. Elias aprendeu o ofício de mecânico na caserna quando sentou praça no 24° Batalhão de Caçadores em São Luís, como Cabo Temporário do Glorioso Exército Brasileiro, ele gozava de bom conceito junto aos seus superiores hierárquicos e por isso ele foi designado responsável pela garagem. Como encarregado do parque, tornou-se um mestre em consertos e reparos de motor. Com essa sua simetria e paixão pelas máquinas passou a ser um exímio profissional muito respeitado. Quando ainda muito jovem foi convidado pelo Prefeito Astolfo Seabra de Carvalho para instalar as primeiras unidades geradoras de energia elétrica em Tuntum (dois grupos geradores MWM-K 2 com capacidade de 50 KVA cada, com esse feito, os munícipes passaram a dispor de energia elétrica das 18:00 as 22:00h, dando descanso aos velhos candeeiros e as lamparinas. Elias tinha como auxiliar os mecânicos Raimundo Dó e Tonheira. Elias foi o chefe do implantado parque energético até 1973 quando foi inaugurada e entrou em operação a usina hidrelétrica de Boa Esperança aposentando assim, os velhos geradores, “os MOTOR” de luz com era chamado pela população.


O velho artífice era também um boêmio, frequentador assíduo dos bares da cidade. Em nossos porres homéricos gostava de cantarolar com a voz que sai do fundo da alma: Nelson Gonçalves, Vicente Celestino, Altemar Dutra, Dolores Duran, Wadick Soriano, Luiz Gonzaga, Demônios da Garoa e Roberto Carlos. A música e a letra por ele interpretadas se transformavam em lágrimas que deslizam suavemente pelo rosto do Príncipe Negro como se fosse uma partitura cheia de lirismo, o decano gostava também de narrar casos e causos hilariantes da política e do cotidiano de Tuntum. 


Era um humanista compassivo, aficionado por jornal, ouvia e assistia todos os dias da voz do Brasil até os televisivos, além de cultivar o bom hábito da leitura (a Bíblia era o seu livro de cabeceira). O mestre Elias foi conseguindo adquirir notáveis conhecimentos, valendo-lhe um nível de excelência na diversidade de seu vocabulário e como dizia Raimundinho Juá “Esse negão é sabido, esse CABA é estrambólico”. Suas frases eram de uma eloquência tamanha que fazia inveja a muitos graduados pelas universidades. Com essa sua desenvoltura vernacular, face do aprendizado recolhido na área da mecânica, a respeitabilidade por esse profissional cresceu e ecoou pelas cidades circunvizinhas a Tuntum que ia, das cidades do Alto Mearim até as regiões dos Cocais. Os trabalhos do mecânico Elias passaram a ser requisitados nesses quadrantes devido a seu profissionalismo e a garantia na qualidade dos serviços por ele executados. Essa reserva moral, e o seu bom caráter o tornou um legionário conhecido em face do seu oficio, foi por esses ingredientes típicos de sua personalidade, que o povo lhe outorgou o título de MESTRE. Podemos dizer com muito orgulho que, aqui pela nossa cidade morou um ser iluminado, uma estrela reluzente. A nossa Alteza, com certeza, será abençoadamente bem acolhido na Corte Celestial e que ele nos ajude a superar esses instantes de dor, pela sua partida. Tuntum está consciente que perdeu um homem, cidadão que fazia da sua conduta o esteio para a família e para sociedade. Mestre, tire o seu sorriso largo do caminho que eu quero passar com a minha saudade. Desce ao túmulo a matéria. Na terra ficará a dignidades e seus exemplos. O espíritos está com Deus. No velório não haverá motivos para tristezas e nem choro, a sua missão heroicamente foi cumprido na terra. Elias será o nosso eterno Príncipe Negro.

Morre Mestre Elias em Tuntum

Morreu, no início da noite desta terça-feira(18), em Tuntum, o primeiro mecânico da cidade Elias de Sousa Matos (91).

Nascido em Bacabal, Elias de Sousa Matos ( o Mestre Elias) chegou a Tuntum no início da década de 50 (cinquenta) do século passado, onde, na condição de morador da cidade, testemunhou os principais fatos históricos da política eleitoral do município.

Como homenagem ao mestre Elias, o Bate Tuntum foi buscar no blog “Ecos de Tuntum” do historiador e professor Jean Carlos a bela crônica: “TRIBUTO A MESTRE ELIAS – ‘O PRÍNCIPE NEGRO” escrita em 2017 por Por José Remy Alves e Silva uma homenagem justa e poética a este morador de Tuntum que nos deixou na noite desta terça-feira(18):

“TRIBUTO A MESTRE ELIAS – ‘O PRÍNCIPE NEGRO’

Por José Remy Alves e Silva*


Negro, de estatura mediana, veste-se com elegância, íntegro, afável, excelente chefe de família, educado e com jovialidade aflorando! Essas são as qualidades dessa grande personalidade o gentleman e bon vivant Mestre Elias. Cordial mede as palavras para se posicionar sobre os temas que discorre, se expressa com clareza, tem voz pausada e olha seu interlocutor com profundidade e atenção. Aliás, o seu timbre de voz aveludada fica gravado em nossa memória, principalmente pela tonalidade educada e suave, como imaginamos ser a voz dos anjos, arcanjos e querubins.

Neto de escravos nasceu em Bacabal, a Capital do Médio Mearim, na sua trajetória trabalhou na roça, foi engraxate, vendeu banana, doce, bolo, até aprender o ofício de mecânico. Tornou-se um mestre em consertos e reparos de motor, com essa sua simetria e paixão pelas máquinas passou a ser um exímio profissional respeitado. Quando ainda muito jovem foi convidado em 1959 pelo Prefeito Astolfo Seabra de Carvalho a instalar as primeiras unidades geradoras de energia elétrica em Tuntum (dois grupos geradores MWM-K 2 com capacidade de 50 kVA cada, com esse feito os munícipes passaram a dispor de energia elétrica das 18:00 as 22:00h, dando descanso aos velhos candeeiros, lamparinas e lampiões, pondo fim nos jantares românticos a luz de vela). Elias tinha como auxiliar os mecânicos Raimundo Dó e Tonheira. Ele foi o chefe do implantado parque energético até 1973 quando foi inaugurada e entrou em operação a usina hidrelétrica de Boa Esperança aposentando assim os velhos geradores, ‘os MOTOR’ de luz com era chamado pela população.


O velho artífice é também um BOÊMIO, frequentador assíduo do “diligente congresso nacional”, o bar do Chico Andrade – o Maribondo de Fogo. Em nossos porres homéricos gosta de cantarolar com a voz que sai do fundo da alma: Nelson Gonçalves, Vicente Celestino, Altemar Dutra, Dolores Duran, Wadick Soriano, Luiz Gonzaga e os Demônios da Garoa. A música e a letra por ele interpretadas se transformam em lágrimas que deslizam suavemente pelo rosto do Príncipe Negro como se fosse uma partitura cheia de lirismo, o decano gosta também de narrar casos e causos hilariantes da política e do cotidiano do PRINCIPADO de TUNTUM. 

É um humanista compassivo e é aficionado por jornal, ouve e assiste todos os dias da voz do Brasil até os televisivos, além cultivar o bom hábito da leitura (a Bíblia é o seu livro de cabeceira). Foi conseguindo adquirir notáveis conhecimentos, valendo-lhe um nível de excelência na diversidade de seu vocabulário e como dizia Raimundinho Juá “Esse negão é sabido, esse CABA é estrambólico”. Suas frases são de uma eloquência tamanha que faz inveja a muitos graduados pelas universidades. Com essa sua desenvoltura vernacular, face do aprendizado recolhido na área da mecânica, a respeitabilidade por esse profissional cresceu e ecoou pelas cidades circunvizinhas do Alto e Médio Mearim e os trabalhos do mecânico Elias passaram a ser requisitados nesses quadrantes devido a seu profissionalismo e a garantia na qualidade dos serviços por ele executados. Essa reserva moral, e o seu bom caráter o tornou um legionário conhecido em face do seu oficio, foi por esses ingredientes típicos de sua personalidade que o povo lhe outorgou o título de MESTRE. Elias é o nosso Príncipe NEGRO.

Fonte: Ecos de Tuntum em 13 fevereiro de 2017.

José Remy Alves e Silva, o Remy da Mata, é natural de Tuntum e filho da união das tradicionais famílias da Mata e Benvinda. É escritor de Alto Solimões – Crônicas I e II, Miscelâneas, Inspiração e Crônicas Maçônicas. Atualmente, está aposentado como Superintendente da Infraero.

Após pressão de internautas, Twitter derruba post de Malafaia que chamava vacinação infantil de infanticídio

247 – Após pressão de internautas, que na noite de segunda-feira (10) e na manhã desta terça-feira (11) tornaram o termo #DerrubaMalafaia o mais comentado do Twitter no Brasil, a plataforma decidiu retirar do ar uma publicação feita pelo pastor e empresário Silas Malafaia na qual ele chamava a vacinação infantil contra Covid-19 de “infanticídio”.

O perfil do Sleeping Giants Brasil publicou: “após pressão de usuários da plataforma, Twitter derruba postagem de Malafaia que chamava de infanticídio a vacinação infantil. #DerrubaMalafaia”.

Nos últimos dias o Twitter tem sido muito criticado por supostamente ser conivente com a desinformação.

Veto a showmícios abre brecha e deixa dúvida para as eleições

Proibidos desde a minirreforma eleitoral de 2006, os showmícios (apresentações artísticas em comícios) devem continuar vetados, decidiu o STF (Supremo Tribunal Federal) em outubro. A corte entendeu que a liberação poderia criar um desequilíbrio na disputa eleitoral e influenciar a escolha do eleitor por meio do oferecimento de uma vantagem.

De qualquer forma, o STF permitiu as apresentações artísticas em eventos específicos de arrecadação de campanha, por avaliar que esse público já teria afinidade com o candidato e que, portanto, não haveria interferência no voto.

Dois entre três especialistas consultados pela reportagem, porém, divergem da proibição por acreditar que ela subestima o eleitor. Eles também afirmam que eventuais excessos poderiam ser coibidos pela Justiça Eleitoral e questionam se o lugar para tratar do tema não deveria ser o Legislativo.

Proibidos desde a minirreforma eleitoral de 2006, os showmícios (apresentações artísticas em comícios) devem continuar vetados, decidiu o STF (Supremo Tribunal Federal) em outubro. A corte entendeu que a liberação poderia criar um desequilíbrio na disputa eleitoral e influenciar a escolha do eleitor por meio do oferecimento de uma vantagem.

De qualquer forma, o STF permitiu as apresentações artísticas em eventos específicos de arrecadação de campanha, por avaliar que esse público já teria afinidade com o candidato e que, portanto, não haveria interferência no voto.

Quando os showmícios foram proibidos e por quê? Os showmícios foram proibidos pela minirreforma eleitoral de 2006. O objetivo foi garantir a paridade de armas na disputa eleitoral, já que os grandes shows eram contratados pelos maiores partidos, que tinham mais dinheiro para investir nas campanhas.

Na eleição de 2002, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e seu adversário na corrida presidencial, José Serra (PSDB), chegaram a levar mais de 100 mil pessoas para cada showmício.

Entre os artistas que faziam showmícios para os tucanos, Leonardo cobrava R$ 100 mil por show, Chitãozinho & Xororó, R$ 75 mil, e a banda adolescente KLB, R$ 50 mil.

Zezé Di Camargo & Luciano receberam R$ 75 mil por show para Lula, totalizando mais de R$ 1 milhão na campanha daquele ano.

​A minirreforma de 2006 acrescentou à lei nº 9.504, de 1997, o seguinte parágrafo: “É proibida a realização de showmício e de evento assemelhado para promoção de candidatos, bem como a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral”.

​​​O que o STF julgou em outubro de 2021? O Supremo julgou uma ADI (ação direta de inconstitucionalidade) movida em 2018 por PSB, PT e PSOL, que pedia a liberação dos showmícios não remunerados (sem cobrança de cachê) e das apresentações artísticas em eventos de arrecadação eleitoral.

Qual foi o argumento dos partidos para tentar derrubar a proibição? Na ação, os advogados das legendas defenderam que tanto a proibição dos showmícios não remunerados quanto a vedação dos eventos artísticos de arrecadação eleitoral são incompatíveis com a liberdade de expressão assegurada pela Constituição Federal.

Os advogados argumentam que a política não se coloca apenas no campo da razão, mas também mobiliza paixões e sentimentos. Por isso, segundo eles, a regulação das campanhas eleitorais não pode buscar a supressão da emoção, como fazem muitas vezes a legislação e a jurisprudência.

“Essa visão se conjuga com concepção elitista e paternalista da política, que enxerga os cidadãos como crianças imaturas, facilmente manipuláveis, que deveriam ser protegidas de ‘influências indevidas’ no cenário eleitoral, por meio da ‘tutela’ do legislador ou do juiz eleitoral”, diz a ação.

As legendas também afirmam que as restrições às artes no contexto eleitoral não ofendem apenas os direitos dos artistas e dos candidatos que eles apoiam, mas também os dos eleitores, “que ficam privados do acesso a manifestações artísticas que poderiam ser relevantes para a formação do seu próprio convencimento político”.

Da Folha de São Paulo

Com Weverton e Eliziane, Maranhão passou a saber de fato o que é ter senadores

O senador Roberto Rocha (PSDB) já está no seu último ano de mandato e não mostrou mesmo a que veio na Câmara alta. Rocha foi eleito senador pelo Maranhão nas eleições de 2014, pelo PSB, na chapa do governador Flávio Dino, prometendo que os maranhenses iriam saber para que serve um senador. Uma promessa que não se cumpriu. Uma produção abaixo da crítica e se perguntar a qualquer maranhense sobre alguma ação do ainda tucano, ninguém saberá responder.

Ao contrário dele, os senadores Weverton (PDT) e Eliziane (Cidadania), eleitos em 2018, fizeram com que o Maranhão finalmente soubesse que existe representantes no senado.

Em menos de 3 anos, Weverton já fez quase 100 propostas de Emenda à Constituição (PEC), quase 300 requerimentos e quase 60 projetos de lei (PL), além de outras proposições. Graças à aprovação do seu projeto, hoje milhares de famílias não podem mais ter sua energia elétrica cortadas às sextas-feiras e em vésperas de feriado.

Além disso, já destinou inúmeras emendas parlamentares para os municípios maranhenses, em destaque para a Saúde, garantiu unidades do Hospital do Amor, destinou equipamentos para os conselhos tutelares de dezenas de cidades do Maranhão possam dar assistência às crianças e adolescentes e acompanha in loco os problemas do estado, como no caso das enchentes em Imperatriz mais recentemente.

A atuação política de Weverton também é destaque. Ele foi líder da bancada do PDT no Senado e participa de inúmeras comissões, incluindo, a mais importante: de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Já a senadora Eliziane propôs 101 PEC’s, 31 projetos de lei, mais de 330 requerimentos, além de outras proposições.

Ela participa de inúmeras comissões, entre elas, a de Constituição, Justiça e Cidadania, Frente Parlamentar da Covid-19 e a CPMI das FakeNews.

A atuação de Elizane na CPI da Covid deu a ela grande destaque nacional, mudando os rumos daquela comissão.

Blog do Clodoaldo Corrêa

Estão abertas as inscrições para o concurso da Assembleia Legislativa

A Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão abriu, nesta segunda-feira (10), as inscrições do concurso público para o preenchimento de 66 vagas e formação de cadastro de reserva para cargos de nível médio e superior.

As inscrições poderão ser feitas até o dia 14 de fevereiro de 2022, pela página da Fundação Ceperj na internet: https://ceperj.selecao.net.br/. A taxa é de R$ 95 para o nível médio, e R$ 140, superior. A aplicação das provas objetivas está prevista para o dia 1º de maio de 2022.

Segundo a organização do concurso, as inscrições efetuadas somente serão consideradas efetivadas após a comprovação de pagamento da taxa de inscrição que deverá ser feito até 15 de fevereiro.

Os salários iniciais são der:

R$ 14.178,80 – para Consultor Legislativo

R$ 7.249,59 – para Técnico de Gestão Administrativa

R$ 3.320,00 – para Assistente Legislativo

A jornada de trabalho será de 30 horas semanais.

Isenção da taxa

Para fazer seu pedido de isenção da taxa, o candidato deverá, após ter feito seu cadastro e preenchido o Formulário de Inscrição, acessar o ícone “Isenção”. O pedido pode ser feito de 10 a 13 de janeiro de 2022.

Podem pedir a isenção da taxa os candidatos que:

Tenham baixa condição econômica – sendo que o candidato pode solicitar a isenção utilizando o Número de Identificação Social (NIS);
Sejam doares de Medula Óssea/Sangue e Tecidos e Órgãos – sendo que basta o candidato, ao se inscrever, preencher o Formulário de Inscrição, bem como seu número de Doador de Medula Óssea/Sangue e Tecidos e Órgãos;
Tenham feito parte da mesa receptora de votos em Seção Eleitoral – sendo que basta ao candidato, ao se inscrever, preencher o Formulário de Inscrição e selecionar essa opção. A comprovação do serviço prestado deverá ser efetuada através do upload no Sistema de Gestão de Concursos do documento expedido pela Justiça Eleitoral, contendo o nome completo do convocado, a função desempenhada, o turno e a data da eleição.

As provas objetivas serão realizadas no dia 1º de maio de 2022. O candidato deverá chegar ao local de realização da prova com pelo menos uma hora de antecedência e não poderão consumir alimentos na sala.

Veja o edital completo.

As vagas

As vagas para os cargos de nível médio são: Assistente Legislativo Administrativo – Criador e Desenvolvedor de Web e Plataformas Digitais (2), Assistente Legislativo Administrativo – Criador e Desenvolvedor de Web e Plataformas Digitais (5) e Assistente Legislativo Administrativo – Tradutor e Intérprete de Libras (4).

Veja os cargos e total de vagas do nível superior:

Consultor Legislativo Especial – Direito Constitucional (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Administrador (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Administrador de Recursos Humanos (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Analista de Sistemas (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Analista de Suporte de Rede (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Antropólogo (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Arquiteto (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Assistente Social (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Biblioteconomista (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Ciências Sociais (Sociólogo) (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Contador (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Controlador (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Contador – Finanças Públicas (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Dentista (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Endodontista (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Odontopediatra (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Economista (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Enfermeiro (3)
Técnico de Gestão Administrativa – Engenheiro Ambiental (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Engenheiro Civil (3)
Técnico de Gestão Administrativa – Engenheiro de Segurança no Trabalho (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Engenheiro Eletricista (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Engenheiro Mecânico (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Farmacêutico (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Fisioterapeuta (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Médico Cardiologista (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Médico do Trabalho (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Médico Otorrinolaringologista (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Médico Ginecologista (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Médico Urologista (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Pedagogo (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Programador de Sistemas (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Psicólogo (2)
Técnico de Gestão Administrativa – Químico (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Técnico em Comunicação Social (1)
Técnico de Gestão Administrativa – Revisor (Letras) (1)

Blog do Clodoaldo Corrêa

Ministério Público recomenda aos(às) prefeitos(as) do Maranhão cancelamento de eventos públicos e privados por conta do Covid-19

O Ministério Público do Maranhão, através do seu Procurador Geral de Justiça, Dr. Eduardo Jorge Nicolau, encaminhou aos Prefeitos do Maranhão a REC-GPGJ-22022 ( leia acima) recomendando aos gestores municipais que cancelem eventos públicos ou/e privados (carnaval, festejos, vaquejadas e similares) enquanto perdurar a emergência sanitária dainte de novos casos de COVI-19 no Maranhão ( variantes Delta e Ômicron) com fundamento legal no Decreto do Governo do Estado nº 37.360/2022 (Estado de Calamidade Pública do Maranhão).

O Ministério Público do Maranhão, através da Recomendação acima, estabelece o prazo de 05 (cinco dias) para que os(as) Prefeitos(as) se manifestem sob pena de responderem por ilícitos cometidos por agentes públicos.

Senador maranhense lamenta morte de quilombola e diz que crime não pode ficar impune

Morreu neste sábado (08), em São Luís (MA), o quilombola José Francisco Lopes Rodrigues, de 58 anos, que sofreu um atentado à bala na comunidade Cedro, no município de Arari (MA), em 3 de janeiro. Cedro convive com um conflito por terras e, nessa tensão, essa é a quinta pessoa assassinada, em Arari, nos últimos dois anos.

O senador Weverton Rocha (PDT-MA) lamentou a morte, disse que o crime não pode ficar impune e afirmou que é preciso “uma atenção cada vez maior no Brasil para temas ligados aos diretos humanos, a questões fundiárias e socioambientais”. 

Na opinião do pedetista, “o nosso país se encontra em uma encruzilhada histórica, em relação a essas questões”. Diante disso, ele defendeu a busca de entendimento e posições mais claras em defesa da vida, ressaltando que “essa é uma questão nacional, que tem suas especificidades no Maranhão“.

Weverton lembrou que 2022 apenas começou e, além de graves problemas das enchentes, já são noticiados “episódios inaceitáveis no Maranhão”, como o assassinato em Arari e o espancamento de um jovem negro em Açailândia.

Agravamento preocupante da violência no campo

Weverton pediu atenção para os dados divulgados no livro “Conflitos e Lutas dos Trabalhadores Rurais no Maranhão em 2020”, organizado pelo advogado popular Diogo Cabral e lançado em dezembro de 2020 pela Federação dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares do Maranhão (Fetaema). Weverton, que participou do lançamento, disse que “é preocupante o agravamento da violência no campo”.

O senador defendeu que os setores verdadeiramente democráticos do Brasil, incluindo liberais, se unam em busca de solução para o problema. “Devemos nos aproximar cada vez mais dessas questões, ouvir, aprender, buscar informações e, se for o caso, rever posições, para que se possa superar diferentes agressões e preconceitos”.

O pedetista falou na construção de uma agenda política que possa “garantir os direitos e o modo de vida de diferentes setores da sociedade, rurais e urbanos, que seguem vulneráveis a diferentes formas de violência”.

Weverton Rocha disse que é preciso ficar claro que priorizar essas questões, não é desconsiderar a importância de setores empresariais, incluindo os produtores rurais. “Eles prestam um serviço de grande importante ao país, fundamental para nossa economia, incluindo a geração de empregos. Mas há questões a serem resolvidas e é preciso buscar consenso em favor da vida”, diz ele.

O senador maranhense finalizou enfatizando que “em nenhuma sociedade do mundo, se chegou a níveis aceitáveis de civilidade e de verdadeiro desenvolvimento humano e econômico, aprofundando desigualdades ou institucionalizando a violência”.

Revista Fórum

“Até os militares se cansaram dos delírios de Bolsonaro”, afirma Flávio Dino

247 – O governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), afirmou ao jornalista Ricardo Noblat, do Metrópoles, que a nota assinada pelo diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres, contra Jair Bolsonaro (PL) “mostra que até o estamento militar está cansado dos delírios de Bolsonaro, que se isola cada vez mais”.

Barra Torres rebateu as insinuações feitas por Bolsonaro: “qual o interesse da Anvisa por trás disso aí?”. O diretor-presidente da agência negou ter qualquer interesse obscuro na imunização de crianças e cobrou uma retratação por parte do chefe do governo federal.

O isolamento de Bolsonaro, segundo Dino, vai aumentar “quando acabar a temporada de liberação de emendas, em abril”. “Ele vai ficar ainda mais fraco”.

Pelo Twitter, o governador afirmou que a nota de Barra Torres entrou para a história. “Esse documento integra a história do Brasil por dois motivos: trata-se de um oficial-general reagindo às múltiplas agressões daquele que deveria honrar as Forças Armadas, e não o faz. E é o registro de um tempo em que a coação e a mentira são métodos de governo”.

Últimas Notícias

Bate Tuntum Tv

Siga-me