BA: Chuvas voltam a causar estragos e nº de desabrigados e desalojados sobe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Moradores da cidade de Medeiros Neto usam canoas para poder se deslocar após nível de rio subir - Reprodução/TV Bahia/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

As chuvas voltaram a causar estragos no interior da Bahia. Desde a última quinta-feira (23), prefeituras de várias cidades vêm alertando para o aumento no nível dos rios. Ontem (24), alguns municípios voltaram a registrar alagamentos e interdições. Em alguns locais, moradores precisaram se locomover usando barcos.

Ao todo, a Defesa Civil informou que há 66 cidades em situação de emergência.

As chuvas retornaram com força na quinta. Com isso, subiram os números de desabrigados e desalojados. Até a tarde de ontem, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec) e as prefeituras dos municípios atingidos contabilizaram 4.185 desabrigados e 11.260 desalojados. Todos tiveram de deixar suas casas, mas, no caso dos desabrigados, os cidadãos necessitam de assistência do governo para ter uma moradia temporária.

O número de feridos subiu para 286 e a população total atingida chega a 378.286. Desde o início do mês, 17 pessoas morreram em decorrência dos estragos causados pelas tempestades.

“É importante ressaltar que estes números sempre irão sofrer mudanças. Desta vez, o aumento também ocorreu porque, felizmente, as pessoas estão entendendo a necessidade de sair das suas habitações, que estão situadas em áreas de risco, e procurarem abrigos oferecidos pelas prefeituras ou casas de parentes e amigos quando chove”, afirmou o superintendente da Sudec, coronel Miguel Filho.

As enchentes que atingem o sul baiano desde meados de dezembro— e que também foram registradas no norte de Minas Gerais — foram provocadas por um ciclone extratropical formado na costa sul do país —o volume de chuvas chegou a 450 mm em Itamaraju. De acordo com o prefeito de Camacan, Paulo do Gás (Podemos), estas são as piores inundações dos últimos 35 anos.

Em Medeiros Neto, o avanço das águas dos rios Água Fria e Itanhém começou no início da semana. Ontem, o centro da cidade ficou inundado e moradores usaram canoas para atravessar as ruas. Outros municípios, como Conceição do Jacuípe, Feira de Santana, Pedrão e Eunápolis, também registraram inundações na véspera de Natal.

Em comunicado, a Prefeitura de Eunápolis informou que “a Defesa Civil está acompanhando e monitorando áreas de risco; maquinários têm sido usado para o escoamento das águas; canos e tubulações foram destinados para vazão do acúmulo de água na Lagoa do Vivendas Costa Azul, e em outros locais da cidade”.

“Ninguém imaginava um Natal nestas condições climáticas”, disse a prefeita Cordelia Torres (DEM-BA).

Em Amargosa, no centro-sul do estado, as chuvas também elevaram o nível dos rios e represas. “A força da água ninguém imagina.
Algumas comunidades sem possibilidade de acesso”, relatou o prefeito Júlio Pinheiro (PT-BA).

Ainda segundo ele, uma família com sete crianças conseguiu escapar ilesa depois que a casa onde moravam na comunidade do Julião desmoronou. Alguns moradores da região de Pancada no Ribeirão, zona rural da cidade, registraram o grande volume de água do Rio Ribeirão.

Lagoa do Vivendas Costa Azul transbordou em Eunápolis (BA) - Prefeitura de Eunápolis - Prefeitura de Eunápolis
Lagoa do Vivendas Costa Azul transbordou em Eunápolis (BA)Imagem: Prefeitura de Eunápolis
Capital deve ter fim de ano com muita chuva

Na capital Salvador também choveu acima do esperado ontem. Até amanhã a previsão é de chuvas significativas, com risco para alagamentos e deslizamentos de terra. As temperaturas deverão variar entre 23°C (mínima) e 28°C (máxima).

Na segunda-feira a chuva perde a força, mas o fim de ano será marcado por chuvas intensas acompanhadas por trovoadas ocasionadas pela passagem de uma frente fria somada a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) (sistema meteorológico do verão, responsável por um período prolongado de chuva frequente e volumosa).

Estradas alagadas

Em Ibitupa e Ibicuí as chuvas também deixaram estradas inundadas e há interdições em alguns trechos, como mostram registros compartilhados nas redes sociais.

Ontem, o tráfego de veículos foi liberado na ponte que dá acesso a Prado, na BA-001. A recomposição da cabeceira da ponte, que rompeu há duas semanas devido às chuvas, ainda está em andamento.

Outra rodovia que sofreu com as chuvas na sexta foi a BR-489. A pista foi interditada no quilômetro 2, entre Itamaraju e Prado, foi interditado devido ao grande volume de água.

Veja os municípios em situação de emergência na Bahia:
  • Alcobaça
  • Amargosa
  • Amélia Rodrigues
  • Anagé
  • Andaraí
  • Apuarema
  • Baixa Grande
  • Belmonte
  • Boa Vista do Tupim
  • Camacan
  • Canavieiras
  • Caravelas
  • Cocos
  • Conceição do Almeida
  • Encruzilhada
  • Eunápolis
  • Guaratinga
  • Iaçu
  • Ibicuí
  • Ibirapuã
  • Iguaí
  • Ilhéus
  • Ipiaú
  • Itabela
  • Itaberaba
  • Itabuna
  • Itacaré
  • Itagimirim
  • Itajuípe
  • Itamaraju
  • Itambé
  • Itanhém
  • Itapé
  • Itapebi
  • Itapetinga
  • Itaquara
  • Itarantim
  • Jaguaquara
  • Jequié
  • Jiquiriçá
  • Jucuruçu
  • Laje
  • Lajedão
  • Lençóis
  • Macarani
  • Maragogipe
  • Marcionílio de Souza
  • Mascote
  • Medeiros Neto
  • Mucugê
  • Mucuri
  • Mundo Novo
  • Mutuípe
  • Nova Viçosa
  • Novo Horizonte
  • Porto Seguro
  • Prado
  • Ribeira do Pombal
  • Ruy Barbosa
  • Santa Cruz Cabrália
  • Teixeira de Freitas
  • Teolândia
  • Ubaíra
  • Uruçuca
  • Vereda
  • Vitória da Conquista

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Últimas Notícias

Tv Bate Tuntum

Siga-me